quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Opinião| Viciado no pecado - Monica James


Olá! Hoje é dia de partilhar a minha opinião de um livro que já queria ler há algum tempo e pelo qual não dava grande coisa, mas no fim de coisas acabei surpreendida com o desenrolar da histórias e até mesmo com as personagens.

Autora: Monica James
Título: Viciado no pecado
Editora: Editorial Planeta
Edição/reimpressão: 2016
ISBN: 9789896578619
Páginas: 344
Sinopse: "Intenso, Sexy, Inesperado e Arrepiante. Uma história erótica e de suspense, que é também uma grande história de amor e redenção. Escrito do ponto de vista do Doutor Dixon Mathews, um psiquiatra de Nova York. Convincente e chocante é uma história de amor que irá manter o leitor absorvido até ao fim... Matthew Dixon irá contar-nos a atracção por duas mulheres. Uma acalma os seus instintos predatórios. A outra o instinto protector. Qual das duas escolherá?"

Opinião: Já queria ler este livro desde que ele saiu e que descobri que esta seria apenas um duologia. Quando o vi na wook em formato ebook e a um preço simpático não pensei duas vezes e comprei.
    Este livro conta-nos a história de Dixon Mathews, um psiquiatra com uma conduta algo duvidosa em determinados momentos e com um grande problema entre mãos: está interessado em duas mulheres muito diferentes e que despertam o seu interesse por motivos também eles bem distintos. Juliet é uma mulher calculista, manipuladora e sensual que sabe precisamente que artimanhas usar e quando de modo a conseguir tudo aquilo que quer, inclusive Dixon. Depois temos a Madison, uma jovem que Dixon conhece de forma bem casual e com a qual desenvolve desde logo uma grande empatia, sendo ela completamente o oposto de Juliet. Com Madison é tudo mais calmo, mais terno. 
    A história desenvolve-se muito em torno deste dilema com o qual Dixon se depara. Embora esteja confuso porque não sabe ao que é que deve dar mais atenção, se ao seu coração, se aos seus desejos mais carnais, as investidas de Juliet também não facilitam nada as coisas. Enquanto Madison é calma e dá-lhe o espaço que ele precisa para organizar as ideias, Juliet faz precisamente o contrário e anda constantemente em cima dele porque sabe qual é ponto fraco dele e eventualmente o seu. 
    A determinada altura senti uma repulsa de Juliet que não fazem ideia, com ela é tudo tão preservo que até dói. Mas Dixon em certos momentos não era melhor, também existiram uns momentos em que ele me irritou por ter atitudes tão típicas de homem e tão estúpidas, mas a dada altura lá se redimiu. Creio que foi o passado de Dixon que fez dele aquilo que ele é no início deste livro, mas recuso-me a aceitar isso como desculpa para o facto de ele ser tão idiota umas quantas vezes, mas já passou. 
   O que mais gostei neste livro foi o facto de poder ver o desenrolar da história pelos olhos e pela voz de Dixon, o que dá outra voz ao livro e faz com que estejamos a passar por tudo em primeira mão e com a visão de um homem e, isso foi de facto uma joga bem inteligente da parte da autora. 
   Os capítulos finais mostram-nos uma mudança bem positiva o que acabou por fazer com que me sentisse finalmente em paz com Dixon, ele redimiu-se e está finalmente focado no presente, mas também a pensar no futuro o que antigamente era impensável. Em contrapartida, no segundo livro desta duologia é mais que certo que ele vai ter que lidar com as consequências dos seus atos e dos segredos que anda a esconder.

Classificação: 

Playlist:

Sem comentários:

Enviar um comentário