quarta-feira, 29 de abril de 2015

Opinião | Uma semana para te amar - Monica Murphy

Olá! Hoje venho falar-vos da minha mais recente surpresa a nível literário. Já faz uns dias desde que terminei a leitura deste livro, mas confesso que precisei de um tempo para pôr as ideias em ordem e conseguir finalmente escrever a minha opinião sobre este livro. 

Título: Uma semana para te amar
Autor: Monica Murphy
Editor: TopSeller
Edição/reimpressão: 2014
ISBN: 9789898626554
Páginas: 208
Sinopse: "Temporária. É a palavra que melhor descreve a minha vida nos últimos anos. Sou a mãe temporária do meu irmão mais novo, já que, aparentemente, a nossa mãe não quer saber de nós. Tenho um trabalho temporário num bar, pelo menos até conseguir arranjar outra coisa. E sou a namorada temporária que todos os rapazes querem ter, porque me deixo seduzir facilmente. Ou, pelo menos, é o que dizem os rumores.
Sou neste momento a namorada temporária do Drew Callahan, lenda da equipa de futebol da universidade e de quem toda a gente gosta. Ele precisava de alguém que fingisse ser sua namorada durante uma semana. Em troca de dinheiro. Muito dinheiro.
Levou-me para o seu mundo falso, onde toda a gente me detesta e onde toda a gente quer alguma coisa dele. Mas a única coisa que o Drew parece querer sou eu.
Já não sei em que acreditar. Tudo o que eu sei é que o Drew parece precisar muito de mim. E eu quero estar lá para ele. Para sempre."



Opinião:
 Tudo começa quando o Drew vai ter com Fable ao seu local de trabalho e lhe faz uma oferta praticamente irrecusável, quer levá-la consigo para casa dos pais durante a semana do dia de Ação de Graça e apresentá-la como sua namorada à família e, em troca paga-lhe 3 mil dólares. Esta oferta revela-se muito tentadora, uma vez que Fable quase se mata a trabalhar para sustentar a família que é composta pelo irmão e a mãe que recentemente também ficou desempregada. É tão tentadora que é mais do que óbvio que ela aceita e embarca naquela que será certamente uma das semanas mais marcantes da sua vida pelos mais diversos motivos. Se no início a relação destes dois se baseia apenas em conversas com o intuito de montarem a história que vão contar aos pais dele, no fim eles simplesmente não conseguem resistir um ao outro, sendo que são o porto seguro um do outro e procuram estar lá nas horas certas, acabando mesmo por criar uma palavra de segurança para quando um dos dois está em apuros ou precisa do outro
 Falando agora dos protagonistas, o Drew é o típico rapaz bonito, rico e com um monte de raparigas aos seus pés, mas contrariamente ao que costuma acontecer, ele não é nada recetivo a essas raparigas, o que acaba por levantar algumas suspeitas sobre a sua orientação sexual, surgindo muitas vezes a típica pergunta “És gay?”. Oh não, o Drew definitivamente não é gay, só tem é uns quantos fantasmas do passado que o assombram constantemente e o impedem de seguir em frente. Depois temos a Fable que é uma jovem rapariga com muitas responsabilidades uma vez que tem o seu irmão praticamente a seu cargo, é bonita e tem quase sempre o coração na boca, dizendo sempre o que tem a dizer. Por fim, posso fazer uma pequena referência ao pai do Drew apenas para dizer que ele exerce um grande pressão sobre o Drew, mas não consegue ter os olhos abertos nas alturas certas e depois há a madrasta que é uma grande atriz e pior, consegue sê-lo o tempo todo. Neste livro constam personagens diferentes do que é normal neste tipo de livros, o homem dominador e autoritário e a mulher submissa e tímida que consente tudo e isso só me fez dar mais pontos a este livro, porque nos traz algo de diferente, as personagens são mais maduras, mais consistentes.
 Este livro é um desfolhar e consequente devorar de páginas atrás de páginas, não nos dando tempo sequer para recuperar o fôlego de um capítulo para o outro, porque neste livro simplesmente não existem aqueles momentos mortos em que a história se arrasta, é sempre um suceder de situações que nos levam ao ponto alto do livro: o momento em que descobrimos o porquê do Drew ter tantos fantasmas na sua vida e até que ponto é que estes condicionam a sua vida. Eu diria que em grande medida, mas tenho esperança que a Fable consiga dar a volta a estas questões nos próximos livros desta série, porque isto promete. Penso que já deu para perceber que para primeiro contacto com a autora Monica Murphy adorei, ela  tem uma escrita fluída e simples, mas que nos consegue transmitir os sentimentos das personagens na perfeição.
 No início de cada capítulo há uma frase que serve como introdução ao livro e que nos permite prever mais ou menos o que está para vir nos capítulos, sendo que estes estão divididos por pontos de vistas dos dois protagonistas, indo alternando de capítulo para capítulo e a coisa fica mesmo perfeita.
 Eu simplesmente não consigo apontar nada de negativo ao livro porque embora seja um livro pequeno que se lê num instante, a história não se passa a “correr”. Okay, o livro também tem uma história um pouco comum, mas nem isso me fez gostar menos dele.
 Bem, penso que é fácil de concluir que gostei mesmo muito de ler este livro e pretendo ler a sua continuação em breve. 

Classificação: 5/5 
Playlist:  
"Tanta coisa que ainda preciso que ele me revele. Partes assustadoras da sua vida que tenho medo de saber. Mas a verdade... não dizem que a verdade é libertadora?
Quero libertar o Drew da prisão em que o passado o colocou. E a única maneira de o fazer é saber o que aconteceu."
Pág. 169

E vocês, já leram ou pretendem ler este livro?

terça-feira, 21 de abril de 2015

Capa contra capa #2

Olá! Hoje trago-vos mais um post da rubrica "Capa contra capa", sendo que desta vez o livro escolhido é úm dos livros que estou a ler atualmente.

 

Já faz um tempo desde que comecei a ver a capa da edição inglesa (3) a aparecer em vários blogs e canais portugueses, por isso essa já não me é totalmente estranha. É uma capa simples e que encaixa perfeitamente na situação que é retratada no livro, contudo não deixo de gostar da edição portuguesa (1) e edição espanhola (3). 
Não consigo acrescentar, nem desenvolver muito sobre estas capas, porque acho-as muito distintas, mas muito especiais e adequadas ao mesmo tempo. Todas elas retratam de forma diferente o que o livro tem para nos dar, contudo acho que a capa da edição portuguesa acaba por ser a mais colorida e a mais adolescente e por isso mesmo, a mais apelativa para os leitores. Apesar disso as outras não deixam de ter o seu encanto.
Qual é a vossa capa preferida?

Divulgação | Em Abril, romances a mil


Olá! Hoje venho falar-vos de uma campanha que as revistas CARAS, tvmais e telenovelas vão fazer nas próximas quintas-feira (22 e 29 de Abril). De forma a celebrar o dia mundial do livro, juntamente com estas revistas vão sair 12 livros, 6 cada semana, tendo cada um o custo de 4,90€.
Façam como eu e espreitem as sinopses destes livros e quem sabe não encontram alguns livros que despertem o vosso interesse.


22 de abril:
Noites de Jasmim, de Julia Gregson
O Fim de Semana, de Bernhard Schlink
O Passado, de Alan Pauls
Uma Grandiosa e Terrível Beleza, de Libba Bray
O Tempo entre Nós, de Tamara Ireland Stone
1000 Dias em Veneza, de Marlena de Blasi


29 de abril:
Um Longo Regresso a Casa, de Gail Caldwell
O Casamento do Ano, de Laura Lee Guhrke
A Professora de Piano, de Janice Y. K. Lee
Marylin à Beira-Mar, de Vicente Alves do Ó
O Dia Claro, de Júlio Moreira
Tempo Adiado, de Paula de Sousa Lima






O que é que vos parece? Vão aderir a esta campanha?

domingo, 19 de abril de 2015

[TAG] Liebster Award

Olá! Hoje é dia de trazer a primeira tag aqui no blog. Esta tag foi-me passada por dois blogs: Trivialidades Literárias e Mini Estante Literária e tem como objetivo dar a conhecer alguns blogs mais pequeninos, com menos de 200 seguidores. Quero aproveitar para pedir mil desculpas por ter atrasado tanto as minhas respostas a esta tag, mas como as perguntas ainda eram algumas então ia respondendo aos poucos e arrastando o post mas já cá está e isso é o que interessa!
Se quiserem espreitar as respostas delas, podem fazê-lo aqui e aqui. Então, vamos lá a isto.

A Liebster Award TAG consiste em:
1 - Escrever 11 factos sobre nós;
2 - Responder às perguntas que nos fizeram;
3 - Nomear 11 blogs com menos de 200 seguidores para responder à TAG;
4 - Fazer 11 perguntas a esses blogs;
5 - Partilhar a foto da Liebster Award TAG no post;
6 - Enviar o link do post a quem nos nomeou.


11 factos sobre mim
1. Adoro café.
2. Adoro cozinhar, sempre que possível faço-o.
3. Adoro animais, se pudesse tinha imensos, mas atualmente só tenho uma cadela e um hamster.
4. Durante a semana a primeira coisa que faço quando acordo é ligar a televisão na MTV.
5. Prefiro o Inverno ao Verão.
6. Atualmente estou a estagiar numa instituição de pessoas com deficiência e estou a adorar.
7. Não dou uma para a caixa no que toca a línguas, mas é algo que gostava de trabalhar e melhorar no futuro.
8. Adoro séries, se tivesse mais tempo disponível seguia umas quantas. Ultimamente nem me consigo atualizar nas minhas preferidas, por isso.
9. Adoro canecas, apanhei a mania de praticamente as colecionar, quando vejo uma assim mais mimosa não resisto a comprá-la.
10. Fiz uma tatuagem este ano quando fiz anos.
11.Gosto muito de ouvir música enquanto leio.


quarta-feira, 15 de abril de 2015

Leitura do momento #3

Olá! Hoje é dia de mais um post sobre as minhas leituras do momento, desta vez não trago-vos dois livros em vez de um. Confesso que é raro ler mais do que um livro ao mesmo tempo porque tenho sempre algum receio de baralhar as histórias ou de perder pormenores importantes por estar a dedicar a minha atenção a mais do que um livro, em vez de focá-la num só. Apesar disso tudo, durante o fim-de-semana apeteceu-me pegar noutro livro, então ultimamente ando entre um e o outro.

Certamente que nenhum dos dois vos é totalmente desconhecido, então posso desde já adiantar que estão ambos a ser leituras muito agradáveis e surpreendentes.
O livro da Monica Murphy trouxe-me algo de novo no meio daquilo que eu já estava habituada. e o de David Levithan é tudo o que promete: inovador e com uma história bem fora do comum. Vou deixar os pormenores sobre as minhas opiniões para os futuros posts com as devidas opiniões depois de terminar estas maravilhosas leituras.

Qual é que está a ser a vossa leitura do momento? Costumam ler mais do que um livro ao mesmo tempo?

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Filme | Deixa o amor entra

Olá! Hoje trago-vos a primeira opinião de um filme aqui no blog. Andava para ver este há já algum tempo e parece que foi este fim-de-semana que tive finalmente a oportunidade de o fazer.
Posso começar por adiantar que não li o livro, por isso não posso tecer quaisquer comparações entre o livro e o filme. Contudo, há que confessar que depois de ver o filme fiquei com alguma curiosidade em relação ao livro, se bem que com todas as opiniões que li a comparar ambos conclui que a maioria preferiu o filme ao livro, por isso não sei até que ponto me irei arriscar na leitura do mesmo.

Título original: Love, Rosie
Ano: 2014
Duração: 1h42
Elenco: Christian Cooke, Lily Collins, Sam Claflin, Suki Waterhouse, Tamsin Egerton. 
Género: Comédia, romance.
Sinopse: Rosie e Alex são melhores amigos desde os cinco anos, portanto, era impossível tornarem-se namorados... ou será que não? No que diz respeito ao amor, à vida e em tomar decisões acertadas, estes dois são os piores inimigos de si próprios. Aos 18 anos deixam passar a oportunidade... e a vida troca-lhes as voltas, deixando-os separados por um oceano.

Opinião: O filme conta-nos a história de dois melhores amigos desde sempre, Alex (Sam Clafin) e Rosie (Lily Collins). Desde cedo que percebemos que entre os dois existe mais do que eles querem fazer querer, contudo eles são os únicos a não ver o óbvio, não fazendo quaisquer referências ao que sentem um ao outro, nem mesmo no momento em que Alex parte para Harvard com o intuito de estudar Medicina.
Este vai-se passando no decorrer de vários anos, mostrando-nos o decorrer e evoluir das vidas destes dois amigos e de como eles não conseguem viver um sem outro, apesar de todas as coisas controversas que se vão interpondo na sua amizade e os vão afastando, aproximando, afastando e aproximando e assim sucessivamente. Mentiras, casamentos, etc. O que é certo é que a essência da amizade deles continua lá à espera do momento certo para poderem finalmente ficarem juntos.

 Ao longo do filme apercebemo-nos que basta-nos uma escolha errada para as coisas começarem a descambar e nunca mais voltarmos a tomar o rumo das coisas e, é precisamente isso que acontece com as personagens. 
O filme é perfeito porque em 102 minutos faz-nos ter sentimentos muito distintos. Ora soltamos umas gargalhas com as tonteiras da Rosie, ora estamos ali em insânias e fazer figas para que o inevitável finalmente aconteça. 
A comédia presente neste filme não é nada forçada, muito pelo contrário, é realmente leve e divertida. Faz-nos realmente querer rir. Nesse aspeto há que congratular a Lily Collins que conseguiu encarnar a personagem Rosie na perfeição, mostrando a sua espontaneidade que só nos faz querer rir, mas também mostrando algumas das suas fragilidades enquanto mulher. Aliás, na sua generalidade, todos o elenco está de parabéns, porque encarnaram as personagens na perfeição, pelo que posso até correr o risco de dizer que foi escolhido a dedo e escolhido muito bem.
Classificação: ★★
E vocês, já viram o filme ou leram o livro? Se sim, o que é que acharam?

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Opinião | Deslumbrante - Madeline Hunter

Olá! Depois de muito adiada, cá está finalmente a opinião do livro Deslumbrante que dá início à série "As flores mais raras", escrita por Madeline Hunter. Posso desde já adiantar que foi uma boa leitura.

Título: Deslumbrante
Autor: Madeline Hunter
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892323725
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 320
Sinopse: Numa época em que a reputação de uma mulher é o seu bem mais precioso, Audrianna desafia todas as convenções. Ela é uma jovem determinada, independente… e disposta a tudo para aniquilar o seu adversário, o altivo Lord Sebastian Sommerhayes. A uni-los está um homem: o pai de Audrianna, que morreu envolto nas malhas de uma conspiração. Para Audrianna, essa tragédia significou o fim da sua inocência. Para Sebastian, que liderou a investigação, foi apenas uma morte merecida. Audrianna jurou limpar o nome do pai, mas nunca esperou sentir um desejo tão avassalador pelo homem que o arrasou. A busca pela verdade vai levá-la demasiado longe numa sociedade que é implacável perante a ousadia feminina. Ao ver-se mergulhada num escândalo que pode ser-lhe fatal, Audrianna tem apenas uma inconcebível opção…
Opinião: Posso começar por dizer que esta foi a minha primeira experiência com romances históricos e passo a explicar porquê: eu tinha uma ideia ligeiramente diferente deste género de livros e nunca me atrevi a ler nenhum por achar que não iria gostar, mas esta foi uma bela surpresa. Mas que surpresa.
Este livro conta-nos a história de Audrianna, uma jovem com uma personalidade bem vincada, cheia de ideias e convicções que não ousa abandonar nem por nada deste mundo. Eu adorei-a, acima de tudo porque se revelou uma mulher de armas do início ao fim do livro. A sinopse descreve-nos esta personagem na perfeição: independente e determinada.
Tudo começa quando alguém que se apelida de Dominó tenta marcar um encontro com o pai de Audrianna, Horatio Kelmsleigh, que está morto, o que a leva a ficar com alguma - leia-se muita -curiosidade sobre este suposto encontro e faz com que seja ela a comparecer neste encontro no lugar do pai na esperança de obter algumas respostas. O que é certo é que neste encontro constam mais pessoas do que seria de esperar e isso vai levar a um escândalo que irá pôr em questão a reputação dos envolvidos: Audrianna e Lord Sebastian. Tão diferentes ao início, mas tão iguais no fim.
Sebastian é um homem persistente, inteligente e justo, que só quer saber a verdade, independentemente dos seus contornos e dos envolvidos. É um homem dedicado à família e aos negócios, uma vez que se encontra no a ocupar o lugar do irmão, Morgan, que se encontra numa cadeira de rodas.
No livro são-nos apresentadas várias personagens além das principais, mas não vou referir a maioria delas porque sei que os próximos livros se focam em algumas delas, então depois correria o risco de me tornar repetitiva, contudo não posso deixar de referir a mãe de Sebastian, Lady Wittonbury, porque eu não gostei mesmo nada dela. É arrogante e indelicada, mas tenho cá para comigo uma pequena esperança de poder vir a mudar a minha opinião sobre ela nos próximos livros, se for referida claro.
De volta ao Dominó, se no início é quem faz Sebastian e Audrianna encontrarem-se no mesmo espaço a fim de quererem ambos obter novas informações sobre o que aconteceu realmente naquele campo de batalha, o que mais tarde levou ao suicídio do pai dela, na minha opinião, no fim de contas este personagem acaba por não se revelar tão importante assim.
O que é certo é que eu gostei do livro, surpreendeu-me pela positiva e posso até dizer que superou as minhas baixas expetativas. O que me deixou mais fascinada no final, foi quando soube quem tinha estado realmente envolvido em toda aquela questão da pólvora em más condições que foi enviada para o campo de batalha e originou uma tragédia. Foi surpreendente e inesperado porque eu não contava com a participação daquelas pessoa naquilo, mas aquilo foi também um bom teste à relação de Sebastian e Audrianna e mais não posso dizer.
Só me resta acrescentar que gostei muito da escrita da autora, é fluída e lê-se muito bem.
Penso que é mais do que óbvio que tenciono ler os restantes livro desta série!

Ela não ousou acreditar nele. Ele mentia para que resultasse dali alguma coisa de bom para alguém; era tudo. Ele não tinha nada a perder, agora. No entanto, o coração dela encheu-se de esperança, e afeto por ele o ter dito, mesmo que não fosse verdade.
Pág. 304

Classificação: (4/5)
Playlist: 


E vocês já leram este livro? Se sim, o que é que acharam?

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Compras #2 | Março


Olá! Hoje é dia de um post com as aquisições no mês de Março. Tenho que admitir que, apesar de tudo, foi um bom mês no que diz respeito a aquisições de livros, aproveitei boas promoções e comprei diversos livros que constavam na minha wishlist a fim de a ir diminuindo.
 Começando pela aquisição de livros  do James Patterson que estão a sair no Correio da Manhã como já tinha referido aqui. Aproveitei esta campanha para conhecer o autor e a sua escrita, no meio dos vários livros que estão a sair nesta campanha, os da série PRIVATE foram os que me despertaram mais curiosidade, portanto cá estão eles.
Depois seguiu-se a aquisição do livro da Zoe Sugg, mais conhecida como Zoella, que desde o início me fez querer tê-lo na minha estante. Este livro foi um caso real de juntar o útil ao agradável, porque na compra deste livro, recebi de oferta o de David Levithan - A cada dia, um dos meus livros mais desejados desde o início do ano.
 Aproveitando mais uma vez as promoções do Continente com livros a metade do preço, adquiri estes dois livrinhos. O primeiro quero muito lê-lo antes de sair o filme e o segundo já queria ter lido há muito tempo atrás, ainda antes de sair o filme, mas uma coisa é certa, ainda não peguei no filme e não o vou fazer até ler o livro.
Por fim, temos duas completas pechinchas. O primeiro livro pertence a uma saga que tem os livros baratíssimos - 3,50€ - e que, segundo me consta, são muito bons. O livro "A luz do fogo" foi adquirido no Continente por 5€.





domingo, 5 de abril de 2015

Random #1

Depois de uma semana muito parada aqui no blog, hoje passei por aqui só para vos desejar uma boa Páscoa com algumas amêndoas e boas leituras à mistura.