quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Opinião | E se? - Maria Capitão

Olá! Hoje é dia de mais uma opinião, sendo que fico ainda com quatro opiniões em atraso, por isso talvez venha outra opinião literária para breve.

Título: E se?
Autora: Maria Capitão
Editora: Chiado Editora
Edição/reimpressão: 2013
ISBN: 978-989-510-168-9
Páginas: 86
Sinopse: "Como tinha dito, a base do livro vão ser frases, pensamentos ou textos que me tenhas dito. (…) Espero que com este livro possas realmente perceber o que sentia por ti, Rodrigo. Boa sorte a perceber. Até hoje eu ainda não descobri.
A nossa amizade terminou. No entanto, nunca foi esclarecida. Não tínhamos uma amizade normal, nem éramos pessoas normais. Este livro trata dos comentários que tu, Mr. Pedinte me fizeste, Princesa, durante toda a nossa amizade, cronologicamente, explicando porque é que chegou ao fim."





Opinião: Este é daqueles raros casos em que parto para a leitura de um livro sem saber precisamente nada sobre ele, li apenas a sinopse que nos dá uma pequena luz daquilo que se vai passar ao longo do livro e aquilo que ele aborda, mas pouco mais que isso.
     Desde as primeiras páginas deste livro que percebi que se tratava de um livro bem diferente daquilo a que estava habituada, é uma biografia por isso é um livro recheado de experiências pessoais e com as quais muitos de nós nos vamos certamente identificar. Confesso que não estou muito familiarizada com este género literário, mas para primeiro contacto que tive com ele até que gostei.
     Este livro toca em aspetos muito importantes porque, verdade seja dita, qualquer rapariga a determinada idade se deparou com alguma desilusão amorosa. Eu própria revi-me em algumas das situações que nos são relatadas ao longo do livro, porque sei que são muitas as vezes em que nos questionamos e desejamos saber o que vai na cabeça e no coração dos outros, porque eles nem sempre tão transparentes quanto gostaríamos, então quando somos jovens e estamos naquela idade em que levantamos questões sobre tudo e todos, esse desejo de entender os outros e os seus sentimentos é ainda maior e é precisamente o que acontece com a autora do livro quando se questiona tentando entender o que ia na cabeça e coração de Rodrigo.
     Atrevo-me a dizer que mais importante do que o facto de este livro ter sido publicado, foi o facto de ter sido escrito. Acredito verdadeiramente que depois de concluído deu uma enorme sensação de alívio à Maria porque ela finalmente tinha escrito todas aquelas questões amorosas que lhe preenchiam o coração e todas aquelas questões existenciais que lhe ocupavam a cabeça. Creio que nesse sentido já foi uma grande conquista e decerto que lhe deve ter proporcionado um grande sentimento de libertação e de alívio porque ela deu finalmente voz às suas inquietações e deitou tudo cá para fora, partilhando-o com outras pessoas no livro.
     Este é um relato real e comum a muitos outros jovens, é também o exemplo perfeito de que nem sempre as coisas na vida nos correm como queremos e desejamos e que, por vezes, as coisas não acontecem porque simplesmente não estão destinadas a acontecer. Sou uma crente no destino há que confessar e, apesar de concordar que somos nós que construímos e fazemos a nossa própria sorte e o nosso destino, mas penso que por vezes há coisas que simplesmente não estão destinadas a acontecer e duas pessoas também podem não estar destinadas a ficar juntas.
     Por fim, tenho apenas a acrescentar que a forma como este livro está escrito torna a sua leitura muito acessível e rápida e aproxima-nos muito mais da autora. Tenho a certeza que para aqueles leitores não se identificarem com os relatos presentes neste livro como aconteceu comigo, vão pelo menos sentir empatia por esta autora e por tudo aquilo que ela passou, mas vão acima de tudo sentir pena por aquela história de amor que parecia ter tudo para dar certo e acabar bem, não funcionou e culminou no corte de relações de duas pessoas que tanto se estimavam e amavam, diria eu.

"Dias em que parece que não servimos para nada. Que somos inúteis. E é nesses dias que a dor ataca. Nos dias em que parece que temos um buraco dentro de nós e que, por mais que façamos, por mais coisas que enfiemos dentro do buraco, nada o fechará ou encherá por completo."
Pág: 22

Classificação: 

Playlist: 

E vocês, já ouviram falar deste livro? São fãs deste género literário ou nem por isso?

5 comentários:

  1. OLá,
    Não conhecia a autora nem o livro mas parece uma história interessante.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      Sim, este livro conta-nos uma experiência pessoal da autora bem interessante. :)
      Beijinhos.

      Eliminar
  2. Ois,

    Vejo que gostaste e te proporcionou uma agradável leitura, sempre o mais importante :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
  3. Olá,
    Não conhecia mas achei bem interessante.
    Ainda só li uma biografia, a da Malala, mas foi um género que me surpreendeu pela positiva. Esta também parece bem interessante, embora diferente.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar